O Valor Eterno das Sagradas Escrituras - III - Tifsa Brasil
  • Recentes

    23 de abril de 2018

    O Valor Eterno das Sagradas Escrituras - III

    Mesmo como composição literária, a Bíblia se consti­tui o livro mais notável jamais visto pelo mundo. De todos os escritos, ela é o mais antigo, e contém uma memória do mais vivo interesse. A história de sua influência é a histó­ria da civilização e do progresso. Não se pode apontar qua­se nenhuma passagem deste admirável livro que não tenha trazido instrução e conforto a milhares. Sob este ponto de vista único, merece a Bíblia a nossa particular atenção e reverente respeito.

    1. Os Dois Testamentos se Completam
    Antigo e Novo Testamentos se inteiram aumentando o valor um do outro. Como uma prova da estreita relação entre as duas dispensações, e da sanção dada, no Novo Testamento, ao Antigo, contém o primeiro cerca de duzentas e sessenta citações diretas do último, dando cerca da metade delas mais o sentido do que as palavras textuais; e as alusões são ainda mais numerosas, sendo o seu número talvez maior do que trezentos e cinquenta. Os dois Testamentos contêm um mesmo plano de reli­gião; nenhuma das partes pode ser entendida sem a outra. O livro de Levítico ajuda na compreensão da Epístola aos Hebreus, enquanto que Daniel ajuda na compreensão de Apocalipse. Ambos os Testamentos tratam apenas de um assunto do princípio ao fim.Na verdade a Escritura é como o oceano, extremamente límpido, mas insondável. Ela parece dizer aos milhares que a estudam: "Meus tesouros são inexauríveis; nunca me ponhais de lado, mas examinai-me incessantemente" (Compêndio de Teologia – Editora Nazarena – Pág. 36).

    2. O Divino Intérprete das Escrituras
    Os mais ricos tesouros das Escrituras não se podem descobrir a menos que o Espírito Santo os revele" (Sl 119.18; Lc 24.45; Jo 16.13; 1 Co 2.9-16). É com a luz do Espírito Santo que ficamos convencidos da verdade da Bíblia, ou da verdadeira significação de determinadas passagens (Jo 7.17; 1 Co 2.13). O "intérprete", em cuja casa o Peregrino de Bunyan viu tantas maravilhas, é o Espírito Santo. Além disso, a Escritura interpreta a própria Escritura. Deste modo, não há uma só passagem que, obscura mas contendo alguma verdade importante, não seja explicada em algum outro lugar.A Bíblia, escrita sob a orientação daquele a quem to­dos os corações estão descobertos e que conhece todos os acontecimentos futuros, contém ensinos próprios para proveito da humanidade em todos os sentidos e em todos os tempos (Rm 11.4; 1 Co 10.11; 2 Tm 3.15-17). Os melhores escritos de um sábio, depois de algumas leituras, como as flores colhidas, murcham em nos­sas mãos e perdem a sua fragrância; mas estas flores imortais da verdade divina tornam-se cada vez mais belas aos nossos olhos, emitindo diariamente novos perfumes e sua­ve cheiro, e aquele que uma vez o tenha sentido, deseja-o de novo, e aquele que sente mais vezes sabe apreciá-lo mais (Sl 1.2; 119.11,97; Jó 23.12; Jr 15.16). Neste particular, as Escrituras assemelham-se ao Jardim do Éden, onde se acha toda a espécie de árvore que é agradável à vista e boa para alimento espiritual, inclusi­ve a Árvore da Vida, que é dada para a salvação das pessoas (Pv 3.13-18; Ap 22.2).

    3.Este Livro Singular
    A Bíblia tem gozado duma aceitação no mundo jamais igualada por qualquer outro livro. A literatura daGrécia que se levanta como incenso dessa terra de templos e atos heróicos, não tem tido a metade da influência que tem tido este livro produzido numa nação menosprezada tanto no passado como no presente... A Bíblia é encontrada tanto na choupana do homem pobre quanto nos palá­cios reais. Está entrelaçada na literatura do erudito e adorna o eloquente falar dos sábios. Ela entra na privacidade dos homens mesclando de alegria as tristezas da vida. 

    A Bíblia atende os homens nas suas enfermidades, quando a febre do mundo abate-se sobre eles. É a Bíblia a melhor parte de nossos sermões; ela levanta o homem por sobre si mesmo. Nossas melhores orações estão baseadas em suas histórias com as quais nossos pais e os patriarcas oraram. O homem tímido, a ponto de despertar-se do sono de sua vida, mira através do límpido cristal das Escrituras e seus olhos voltam a brilhar: não tem medo de estar só, andar em caminhos desconhecidos e distantes, tomar a mão do anjo da morte e dizer adeus à esposa e aos filhos queridos... Mil famosos escritores deste século poderão já não serem lembrados no próximo, porém o fio de prata da Bíblia não está frouxo, nem a taça de ouro da revelação divina está a desmoronar. Como uma crônica do tempo, duas dezenas de séculos são passados, contudo a Bíblia continua como um monumento eterno.
    Aqueles que negligenciam a sua Bíblia não imaginam o prazer que perdem por não voltarem os seus olhos à contemplação do objeto mais sublime e mais encantador dos que produziram o Universo inteiro. Ler mais...
    • Blogger Comments
    • Facebook Comments

    0 » Comentários:

    Postar um comentário

    Olá tudo bem? Encontrou o que procurava? Achou o Tifsa útil? Então compartilhe, curta, envie ou recomende aos amigos nossos artigos. O Tifsa não tem uma campanha de marketing multimilionária ou o patrocínio de celebridades, mas temos algo muito melhor: você.

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole as leis, ou que configure em crime cibernético e que vão de e termos de uso, por favor denuncie.

    Item Reviewed: O Valor Eterno das Sagradas Escrituras - III Rating: 5 Reviewed By: Pbsena Sena

    Contato

    Scroll to Top