A Grande Tribulação - VI - Tifsa Brasil
  • Recentes

    7 de abril de 2018

    A Grande Tribulação - VI


    Ao mesmo tempo em que o Céu está em festa decorrente da chegada triunfal de todos os remidos de todas as épocas, a terra estará a sofrer uma tribulação sem precedentes na sua história. A esse período de trevas pelo qual os habitantes da terra passarão, a Bíblia chama de "A Grande Tribulação". Será um período de cerca de sete anos, durante os quais o Anticristo, a Besta e o Falso Profeta (uma espécie de trindade satânica), assumirão o governo do mundo, e quando as taças da ira divina estão sendo derramadas sobre os que habitam na terra. Será um período de indescritível horror. A Igreja, porém, estará em gozo no monte da salvação de Deus.
    1. O Anticristo
    O Anticristo será um gentio que se levantará dentre as nações. Com o apoio dos governantes do mundo da época, exercerá domínio sobre todos os povos, com a proposta de restabelecer a ordem em meio à desordem e à confusão causadas no mundo por causa do inexplicável desaparecimento de milhões de pessoas decorrente do arrebatamento da Igreja. Será um homem, de carne e osso, personificando o Diabo, porém, apresentando-se como se fosse Deus. Resumidamente, sobre a ação do Anticristo nessa época da história, escreve o profeta Daniel: "Este rei [o Anticristo] fará segundo a sua vontade, e se levantará e se engrandecerá sobre todo deus; contra o Deus dos deuses, falará coisas incríveis, e será próspero, até que se cumpra a indignação, porque aquilo que está determinado será feito" (Dn 11.36). O Anticristo será um personagem detentor duma habilidade e capacidade de operar o mal até então desconhecidas. Sua capacidade de operar o mal e afligir as pessoas só pode ser comparada à maldade do próprio Diabo, seu mentor e inspirador. Quando comparados com o Anticristo, ditadores tais como Nero, Stalin, Hitler e Mussolini, são comparados a Inofensivos bebês de colo. De acordo com a narrativa de Daniel, o Anticristo:
    -“Fará segundo a sua vontade”: não se submeterá nenhuma autoridade, da terra ou do Céu.
    - “Se, levantará, e se engrandecerá sobre todos os deuses”: abolirá toda e qualquer forma de culto até então existente, atribuindo a si mesmo o valor de divindade,
    - “Se levantará e se engrandecerá... Contra o Deus dos deuses”:aqui jaz o cúmulo da maldade desses “filhos da desobediência".
    -"Falará coisas. incríveis": será um orador dor inflamado e duma oratória jamais assemelhada por homem algum.
    -"Será próspero": o seu governo gozará duma prosperidade repentina, prosperidade que será transformada num verdadeiro caos com a manifestação de Cristo em glória.
    2. O Falso Profeta
    O Falso Profeta, principal associado do Anticristo durante a Grande Tribulação, é identificado pelo apóstolo João, nas seguintes palavras: "Vi ainda outra besta emergir da terra; possuía dois chifres, parecendo cordeiro mas falava como dragão" (Ap 13.11). O Falso Profeta será uma espécie de "ministro de culto" do governo do Anticristo enquanto durar a Grande Tribulação. Ele promoverá um grande avivamento religioso mundial, juntando todas as seitas e credos religiosos existentes na época, formando uma super-igreja mundial. Ele também opera grandes sinais, de maneira que até fogo do céu fará descer à terra, diante dos homens" (Ap 13.13). Evidentemente serão prodígios de mentira, operados segundo a eficácia de Satanás" (2 Ts 2.9).
    3. A Besta
    A Bíblia diz três coisas sobre. a Besta: seu nome, seu número e sua marca. No momento, só o seu número é revelado: 666. A pessoa e o nome só serão revelados após o arrebatamento da Igreja. Note o que diz o apóstolo Paulo: "Porque já o mistério da injustiça opera: somente há um que agora resiste até que do meio seja tirado; e então será revelado o iníquo, a quem o Senhor desfará pelo assopro da sua boca, e aniquilará pelo esplendor da sua vinda" (2 Ts 2.7,8). O número 6 repetido três vezes em relação à Besta, fala da suprema exaltação do homem, cujo número da numerologia bíblica é 6. O 6 três vezes, pode significar o homem exaltando-se a si mesmo como se fosse Deus, a exemplo do que fez Lúcifer no princípio. "Quanto à Besta ter número, convém notar que as nações mais adiantadas projetam pôr em prática um sistema de números permanentes para todos os cidadãos, a partir do nascimento ou da naturalização, visando ao controle total da população. Os computadores já estão fazendo isso, controlando animais e mercadorias. Entramos na era em que tudo será controlado à base de números. Em todos os países já há muita coisa controlada à base de números permanentes" (O Calendário da Profecia – CPAD – Pág. 54).
    4. Duração da Grande Tribulação
    A Grande Tribulação abrangerá um período de sete anos, dos quais os piores serão os últimos três anos e meio. Quanto a este período, diz a Escritura que o Anticristo "proferirá palavras contra o Altíssimo, e destruirá os santos do Altíssimo, e cuidará em mudar os tempos e a lei; e eles serão entregues na sua mão por um tempo, e tempos, e metade de um tempo" (Dn 7.25). "E foi-lhe dada uma boca para proferir grandes coisas e blasfêmias; e deu-se lhe poder para continuar por quarenta e dois meses. E abriu a sua boca em blasfêmias contra Deus, para blasfemar do seu nome, e do seu tabernáculo, e dos que habitam no céu" (Mt 24.21,22). O sofrimento nesse tempo será de tal monta que se durasse mais tempo, ninguém escaparia com vida. Note o que disse Jesus sobre essa época da história da humanidade: "Porque haverá então grande aflição, como nunca houve desde o princípio do mundo até agora, nem tampouco há de haver. E, se aqueles dias não fossem abreviados, nenhuma carne se salvaria; mas por causa dos escolhidos serão abreviados aqueles dias" (Ap 17.16).
    5. A Pior Fase da Grande Tribulação
    A pior fase da Grande Tribulação será quando o Anticristo romper sua aliança feita com os judeus, e começar a persegui-los. Tal fato ocorrerá quando ele exigir adoração e os judeus se recusarem a prestá Ia. Os "santos" perseguidos pela Besta, referidos em Daniel 7.21,25 e Apocalipse 13.7, são em primeiro plano os judeus, e secundariamente os gentios crentes, os quais sofrerão o martírio por causa do nome de Jesus por se negarem receber o sinal da Besta. Rompida a sua aliança com os judeus, o Anticristo romperá com a igreja apóstata que lhe deu sustentação religiosa até então, e a destruirá (Jr 25.29-32; Ap 13.7,8). Havendo destruído a igreja falsa, o Anticristo implantará o sistema de adoração de si mesmo. Apesar da Grande Tribulação visar em primeiro lugar os judeus, o mundo inteiro sofrerá os seus efeitos (Ez 20.34-37; Jr 30.7; Zc 14.2; 13.8,9; 12.9; Rm 11.26,27; Mt 23.39). Porém, só os judeus se arrependerão dos seus pecados e se converterão a Deus como resultado desse período de tribulação indescritível (Mt 24.29; Ag 2.9). Será nesse tempo de justiça divina quando as sete piores pragas, sob as taças de juízo, serão derramadas na terra, como registram os capítulos 15 e 16 do livro de Apocalipse. Nesse tempo, as forças da natureza que operam nos céus entrarão em convulsão (Ap 6.9-11; 7.9-11).
    6. Haverá Salvação Durante a Grande Tribulação?
    De que haverá salvação durante a Grande Tribulação, dão provas os seguintes textos das Escrituras: Joel 2.32 e Apocalipse 6.9-11; 7.9-11,14; 12.17; 15.2 e 20.4. Certamente que as condições espirituais prevalecentes durante a Grande Tribulação não serão tão favoráveis quanto hoje. Tremendas trevas espirituais envolverão o mundo e o terror do Inferno atormentará o coração dos homens. Apesar de todo esse quadro adverso na sua visão de Patmos, João viu uma grande multidão formada de judeus e gentios, salva durante o reinado do Anticristo (Zc 12.3; 14.2). No meio dessa multidão inumerável estarão aqueles crentes que não subiram no arrebatamento da Igreja, que, despertados por tal fato, decidirão por permanecer fiéis a Jesus, a despeito de toda qualquer prova de sofrimento. Deste modo não pairam dúvidas, de que haverá conversões durante a Grande Tribulação.
    7. Israel e Sua Fuga na Grande Tribulação
    No seu intento de destruir os judeus, o Anticristo conduzirá seus exércitos contra a cidade de Jerusalém. Quanto a isto diz o Senhor: "E acontecerá naquele dia que farei de Jerusalém uma pedra pesada para todos os povos; todos os que carregarem com ela certamente serão despedaçados, e ajuntar-se-ão contra ela todas as nações... Porque eu ajuntarei todas as nações para a peleja contra Jerusalém; e a cidade será tomada, eas casas serão saqueadas, e as mulheres forçadas; e metade da cidade sairá para o cativeiro, mas o resto o povo não será expulso da cidade (Mt 24.20; Is 16. 1-5; Ez 20.35-38; Os 2.14; Dn 11.40,41; Sl 60.9; Ap 12.6,13,14). Acossados pelas forças que estarão sob o comando do Anticristo, parte de Israel buscará e encontrará refúgio nos montes e abrigos naturais nos territórios de Edom, Moabe e Amom (Dn 11.41). Em razão disto, estas três províncias serão poupadas do juízo divino durante a investida arrasadora do Anticristo contra Israel (Is 52.8). Ler mais...

    • Blogger Comments
    • Facebook Comments

    0 » Comentários:

    Postar um comentário

    Olá tudo bem? Encontrou o que procurava? Achou o Tifsa útil? Então compartilhe, curta, envie ou recomende aos amigos nossos artigos. O Tifsa não tem uma campanha de marketing multimilionária ou o patrocínio de celebridades, mas temos algo muito melhor: você.

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole as leis, ou que configure em crime cibernético e que vão de e termos de uso, por favor denuncie.

    Item Reviewed: A Grande Tribulação - VI Rating: 5 Reviewed By: Pbsena Sena

    Contato

    Scroll to Top