Últimas

Nossos amigos no Google+

11 de set de 2016

Conceitos cognoscitivos sobre a verdadeira paz e felicidade do homem

Introdução
Nossa paz e felicidade não consistem na sensação e nas emoções que trazem nossos deleites carnais e materiais. Elas são consequências de nosso relacionamento com nosso Criador e com nosso semelhante.
Encontraremos a paz e a felicidade em nossos conceitos tradicionais? (Texto Explicito João 8:32 – E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará).
Todos nós desejamos ansiosamente pela paz e felicidade, e almejamos acima de tudo a liberdade, e o direito de ser livre em todos os aspectos. E é por conta deste desejo que acreditamos ser a liberdade à chave e o segredo de nossa felicidade, e o encontro da paz. Com essa a liberdade em mãos, cremos que estamos livres de restrições, e distante de qualquer tipo de opressão interna e externa.
Imaginamos que a paz e a felicidade nós encontramos no entretenimento, no humor que traz risadas de escancarar a boca, cremos na felicidade em um ambiente aconchegante e bem iluminado, cheio de pessoas boas e maravilhosas: bonitas; cultas, cheias de status, poderosas, muito dinheiro no bolso, sexo livre sem limites, deixando os desejos da carne correm a soltas, carros novos, drogas de todos os tipos, cervejas e espumantes a fartar; noites e mais noites nas farras, bebendo, transando, ouvindo músicas modernas, que infiltra na mente e penetra na alma e no coração, fumando supostamente um bom charuto; e achamos que somos homens livres, e encontramos a felicidade e a paz. E sendo verdadeiros donos de nosso nariz. É nisso que achamos preencher as lacunas, e esquecer os problemas.
Nosso mirante: como podemos dizer que somos livres e dono de seu nariz se o vicio e as drogas nos dominam? E como podemos dizer que nossa felicidade está em entretenimento e em momentos passageiros e secundários?
Os homens hodiernos acreditam que a liberdade total é fazer o que bem quiser de sua vida, como um direito de todo ser humano. Defendem que não se deve ficar cercados de regras e presos às leis, e quem anda a procura da paz e da liberdade não deve questionar o certo ou o errado; ou se sentir culpado porque está tentando de qualquer forma ser feliz. Para a maioria o segredo da felicidade e da paz; é ter a liberdade total. No entanto essa felicidade é ilusória e passageira, e leva o indivíduo a se aprofundar ainda mais em sua procura nem que seja por meios de fins lucrativos de procedência duvidosa. Enfim: os fins justificam os meios. Pois afinal de contas, o que importa é ser feliz, pois todos são merecedores. 
Nosso mirante: se o segredo de toda esta felicidade vem de tudo isso, porque se sentem tão vazios e continuam a surgirem os problemas sem solução? E porque continuam com as suas consciências pesadas e cheias de inquietações interiores?
Quando no fim das contas de todo esse momento de euforia de prazer e bem estar, que trazia alegria acompanhada de suposta paz e felicidade passarem; ai começam a se sentirem tão sós, e a perceberem que sua confiança depositada em suas amizades e nos bens materiais não lhes trouxe resultados da verdadeira paz e da felicidade que buscavam. Depois de passado esses momentos eufóricos começam reaparecerem os sentimentos de culpas e de decepção, e rejeição de si mesmo. Alguns se dizem muito arrependido, e chegam a confessar que irão mudar seu modo comportamental para melhor, pois as suas tentativas de encontrar paz e felicidade foram em depositadas em pessoas erradas e em momentos de prazer. A certeza que temos, é que nunca é tarde demais para recomeçar e deixar todos os dias negros pra trás e começar uma nova vida. Se nós queremos encontrar paz e felicidade, e deixar todos os sentimentos de culpa, e fazer fluir sobre nós paz e felicidade; não temos outra pessoa indicada, senão nosso Senhor Jesus Cristo. Só Ele pode preencher o vazio da alma e coração, fazer com que os dias negros se tornem em plena luz. É Ele que resolve por nós os problemas que fogem de nosso controle de resolver; e se torna nosso melhor amigo que não nos trará decepção, e nunca negará seu terno amor frente nossas fraquezas e deficiências.
Amigo, a verdadeira paz e felicidade não dependem e nem consiste na linha imaginaria que traçamos supracitada acima, em cima das más companhias e nos desejosos nocivos da carne; que destrói o corpo corrompe a alma, e contamina o espírito. A verdadeira felicidade é viver em sociedade, respeitando a privacidade e a liberdade e os direitos de outrem. É se relacionar e amar intensamente de forma interpessoal a todos, ser liberto do pecado na pessoa de Cristo Jesus, embora você tenha que enfrentar muitos desafios e precise passar muitos reversos na vida. Mais apesar dos pesares, mesmo tendo que enfrentar grandes desafios e passar por vários reversos na vida; você atravessa todas as adversidades com mérito feliz e com paz no coração. Sendo consciente que, o que está passando é em justa medida e ainda alimenta a esperança e a certeza que um dia tem a garantia da vida eterna por meio de Cristo Jesus. Onde podemos encontrar a paz, liberdade e a verdadeira felicidade. Esses são os pontos que conta a seu favor
Conclusão  
Quando colocamos nossa paz e felicidade, meramente como sendo restrito ao presente, caímos no erro da omissão de que ser feliz é curtir a vida enquanto a vida oferece boas ocasiões. Autor: Pbsena

  • Comentar pelo Blogger
  • Comentar pelo Facebook

0 » Comentários:

Postar um comentário

Olá tudo bem? Encontrou o que procura? Achou o Tifsa útil? Então compartilhe, curta, envie ou recomende aos amigos nossos artigos. O Tifsa não tem uma campanha de marketing multimilionária ou o patrocínio de celebridades, mas temos algo muito melhor: você.

Item Reviewed: Conceitos cognoscitivos sobre a verdadeira paz e felicidade do homem Rating: 5 Reviewed By: Pbsena Sena
Scroll to Top